MANIFESTO QUER MOSTRAR QUE NEM TODOS OS CRISTÃOS APOIAM BOLSONARO

14 JUN 2020
14 de Junho de 2020
Um manifesto on-line está colhendo assinaturas para tentar mostrar que nem todos os cristãos evangélicos estão apoiando o governo Bolsonaro.
O manifesto “Sou cristão e não apoio Bolsonaro“, foi lançado no dia 3 de junho através do site de petições Avaaz, e em menos de 48 horas já estava com mais de 12 mil assinaturas. Hoje, o manifesto está com mais de 30 mil assinaturas.

Segundo o pastor Antonio Carlos Costa, fundador da ONG Rio de Paz, o motivo do manifesto on-line, criado por ele, é mostrar que “nem todos os evangélicos do Brasil apoiam o presidente Bolsonaro”.

“Na cabeça de milhões de brasileiros, o movimento evangélico dá suporte ao bolsonarismo. Temos o direito de deixar claro que este apoio não é unânime. Desejamos que o nosso nome não esteja envolvido nessa história”, afirma o pastor.

“Queremos também que os milhões de não cristãos, que jamais apoiariam Bolsonaro, saibam que são bem-vindos no nosso meio, e que há cristãos evangélicos que pensam de modo idêntico a eles, mas, acima de tudo está o nosso compromisso com o Evangelho. Não podemos nos calar quando vemos a nossa fé ser usada para dar suporte a um projeto de poder político, que no seu modo de atuação e ideologia corresponde ao exato oposto dos princípios éticos cristãos”, continua.

Em sua página no Facebook, o pastor Antonio Carlos diz que o manifesto não tem nenhum apoio institucional, que não foi resultado de nenhum “encontro de lideranças cristãs mobilizadas com o intuito de envolver os mais amplos setores possíveis da igreja” e que não houve estratégia de marketing ou investimento financeiro.

“Há milhões de cristãos no país engasgados com o apoio da igreja ao bolsonarismo. Homens e mulheres das mais diferentes denominações evangélicas, sem mencionar católicos que também assinaram o manifesto, que entendem que por fidelidade ao evangelho precisam deixar clara a sua posição: o bolsonarismo é incompatível com o cristianismo”, diz o pastor.

“O que temos agora após essa coleta de assinaturas? Um testemunho de fé, que possibilitará aos cristãos dizerem para os seus amigos não cristãos que o apoio evangélico a Bolsonaro não contou com a unanimidade da igreja. Não há como mensurar o valor desse testemunho! As gerações futuras saberão que houve quem divergisse publicamente do suporte que grande parte da igreja tem dado ao discurso de Bolsonaro. Lembro-me do apóstolo Paulo: ‘Pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de ele nos confiar o evangelho, assim falamos, não para agradar as pessoas, e sim para agradar a Deus, que prova o nosso coração’ (I Ts 2:4)”, finaliza.


Folha Gospel

Voltar